quarta-feira, 13 de maio de 2020

O culpado dos ''políticos'' serem corruptos pode ser você. Ou eu. E porque não?


As questões partidárias se fazem necessárias. E no momento, digo, de 3 anos e 4 meses até aqui, as questões do governo federal devem serem resolvidas não mais pelo ''PT dos ladrões''.

É que, os seguidores do atual governo, talvez por paixões, ou por não terem o que responder, se ''justificam'' pelos erros do governo passado. 

Mas, você pode está certo quando chama o ''político A ou B de ''ladrão. Você ajudou a colocar um lá (no mandato)? Você já pediu que ele roubasse? Você já pediu uma dose de cachaça a algum? Você já bebeu uma cerveja ou refrigerante às custas de algum? Você já pediu um saco de cimento? Já pediu algum dinheiro para pagar sua luz? Sua água? Seu telefone? Você já pediu que algum deles pagasse uma receita médica? Já pediu alguma guia de internação? Já pediu uma passagem para algum outro centro mais desenvolvido para um tratamento de saúde? Você, por acaso já pediu que facilitassem o Alvará de funcionamento do seu comércio? Já pediu que algum deles facilitasse o imposto dos 2 mil bois... vendidos? Já pediu que algum intercedesse para livrar alguém de sua família, ou amigo, da cadeia? Já pediu um patrocínio para uma ''obra social'', para uma missa, um culto, um carro de som, para acompanhar a procissão ou uma caminhada da igreja? Ou, um patrocínio para aquele churrasco, para ajudar no sustento de sua família, ou ajudar na sua ''comunidade''? Já pediu alguma ajuda para sua ''associação'' de moradores? Já pediu que livrassem sua moto, ou carro lá do pátio do DETRAN? Já trabalhou numa ''campanha política'' em troca de um emprego, ou para  garantir o que já tem? Se a resposta a todas às perguntas acima forem não, você está... digamos, mais ou menos certo. Se, contudo, for sim, pelo menos a algumas das perguntas, você é conivente. Você, quando pede, ou eu, quando peço algo a algum desses excelentíssimos senhores (a), é bom que lembremos que, o valor que estou sugerindo, ou que você está, e que porventura ele me disponibilize, ou a você, é do povo. E o que é do povo, é meu e dos outros. É seu e dos outros. Fazer uso indevido do que é do povo, caracteriza defraudação.

Assim, senhores(a), já que todos temos pecados, atirar a primeira pedra é ir contra os ensinamentos do nosso maior Mestre, se você for cristão.

Evitar ser corrupto contudo, é nosso dever. Aprender e transmitir aquilo que venha tornar mais agradável a vida de cada um de nós, que aqui estamos, é, creio, nossa missão. Obrigado, e que Deus nos abençoe!.